Meditação na Empresa

A meditação como estímulo ao desempenho profissional

A prática constante de meditação, como forma de estímulo ao desempenho profissional, é uma tendência que está se incorporando ao mundo do trabalho.

À realização de exercícios físicos, adoção de alimentação saudável e mudanças de hábitos, alia-se a prática de meditação como fator redutor do estresse, não só decorrente da vida cotidiana como também das relações de trabalho.

A meditação da plena atenção, focada principalmente na respiração, promove o bem-estar e o relaxamento, o que acarreta naturalmente a diminuição dos fatores de estresse.

O estresse pode evoluir para hipertensão arterial, transtorno de ansiedade, depressão, dificuldades sexuais, problemas de pele, distúrbios do sono, entre outros problemas, e a prática constante da meditação pode impedir esta evolução.
Mas não é só!

Esta técnica causa uma melhora expressiva da concentração, atenção, memória e organização mental, assim como a diminuição da percepção de fadiga, fatores que atuam diretamente no desempenho profissional.

Na meditação da plena atenção, o indivíduo se concentra no momento presente, sem se ater ao passado ou ao futuro, sem se fixar em pensamentos, análises e julgamentos que inundam a mente, o que permite uma melhor percepção da realidade e a fixação de expectativas, inclusive profissionais, mais realistas e conscientes.

De uma maior consciência resulta, de um lado, melhor desempenho profissional e maior produtividade por parte do trabalhador e, por outro, redução dos custos por afastamentos e tratamento de doenças, o que mostra um quadro bastante positivo também ao empregador e à empresa.

A meditação tem sido reconhecida não somente por referendo dado pela Organização Mundial de Saúde – OMS e pelo Ministério da Saúde, como também pela adoção como prática integrativa e complementar por Coordenadorias Regionais de Saúde, como as da Prefeitura Municipal de São Paulo, dentre outras, e, mais recentemente, pelo Tribunal de Contas da União.

Enfim, a meditação é positiva para ambas as partes da relação de trabalho.